BONITO / MS

31º

21º

quinta, 25 de abril de 2019

quinta, 26 de agosto de 2010

Observando Aves no Planalto da Bodoquena

As aves participam de diversos processos ecológicos, seja ajudando na regeneração da vegetação nativa dispersando sementes e pólen, seja controlando as populações de insetos, ratos silvestres e outros animais. Por isto, exercem um papel fundamental na conservação da natureza.


Foto: Daniel De Granville

Sua variedade de cores, formas e tamanhos embelezam o ambiente, ao mesmo tempo em que seus cantos melodiosos alegram a todos. Por serem tão especiais, muita gente aprecia tê-las por perto, em seus jardins ou sacadas de apartamentos, oferecendo flores e frutos para se alimentarem. Cada vez mais aumenta o número de pessoas que saem de casa para observar aves, seja numa praça, parque urbano ou mesmo no Pantanal, Amazônia e Mata Atlântica.

Esta é uma atividade extremamente agradável, onde é possível estar próximo à natureza, aprendendo muitas coisas longe da sala de aula. Muita gente no mundo todo faz observação de aves, também chamada de birdwatching. É impossível não se empolgar com a descoberta de uma nova espécie no seu jardim ou durante uma caminhada numa trilha dentro da mata!

Sem contar que esta atividade auxilia os ambientes naturais, pois as aves precisam deles para sobreviver, e as pessoas que visitam estes lugares acabam por estimular sua conservação. E claro, também gera muitos empregos às pessoas envolvidas direta e indiretamente com esta atividade.

Como começar a observar aves?

Para começar, desligue o rádio ou a televisão. Faça isto de preferência pela manhã ou final da tarde. Aos poucos seus ouvidos irão começar a identificar os cantos de algumas aves, misturados aos barulhos da cidade. Vá até a janela e observe a paisagem. Caso não consiga descobrir o dono da voz, não desanime. Nem sempre é tão fácil encontrar estes bichos, que também precisam aprender a se esconder dos predadores...


Foto: Daniel De Granville

Dê uma volta pela rua, vá até o jardim ou praça mais próxima de sua casa, e sente-se em algum lugar tranqüilo. Logo alguma ave vai pousar por perto, ou passar voando:
- Olha, é amarelo, parece que tem uma faixa preta nos olhos!! – Pode ser um bem-te-vi... Sim, aquele que canta o próprio nome... Ele adora comer insetos!
- E aquele pequeno, não, são dois, meio cinza, meio azulado... Escuta, que canto fininho e melodioso!! – É o sanhaço azul, sempre agitado, procurando frutinhos por aí.
- Ah, esse aí eu conheço! Esse aí é o pombo da cidade, tem em tudo que é lugar! – Isso mesmo, é o pombo, uma ave cosmopolita, pois se adaptou tão bem às cidades que praticamente só vive nelas hoje em dia, comendo grãos e migalhas que estão pelo chão...
- Pára, escuta! Presta atenção, que canto mais doce... Quem será? Olha lá, é aquele pássaro maiorzinho ali, ao lado dos pardais (pardal eu também conheço!). Tem um bicão e o peito enferrujado! – Sabiá-laranjeira... Como é lindo seu canto, sempre presente nos jardins e praças da cidade.

E assim, num final de tarde, você já identificou quatro espécies diferentes... E amanhã vai querer descobrir mais duas ou três, e quando perceber já conhecerá mais de vinte espécies de aves urbanas!

Como observar aves?

Levantar cedo. Beeemm cedo... Passarinho é quem acorda o sol. E quando ele já está alto no céu, passarinho fica quieto, e não se vê mais nada. Ou seja, para observar aves tem que pular da cama antes do amanhecer e procurar pelas aves até o meio da manhã. Este é o melhor intervalo. No final da tarde novamente começa o movimento da passarada, mas é só o sol se pôr que eles se aquietam, pra começar no dia seguinte. Aí é a vez das corujas, urutaus, curiangos saírem de seus esconderijos...


Foto: Tietta Pivatto

Depois que sair da cama, coloque roupas confortáveis, mas discretas, nada muito colorido. Use tons de verde, marrom, cinza. Nada de branco ou vermelho, amarelo, etc. Se usar roupas de cores muito chamativas, as aves vão te ver a dezenas de metros, e ficarão escondidas. Além do silêncio, roupas discretas são o segredo da atividade!

Leve um bom binóculo, com aumento na faixa de 8x40, que vai ajudar muito a ver detalhes com mais nitidez, permitindo identificar a ave observada. Também tenha um bloquinho de anotações, onde possa marcar as espécies que viu, ou ainda desenhar e anotar detalhes daquelas que não conseguiu identificar. Uma boa dica é ter um livro, um guia de campo com fotos ou desenhos das aves de sua região. E uma boa companhia, alguém que também goste de observar aves e que possa compartilhar contigo este prazer que muita gente ainda acha esquisito (mas não sabem o que estão perdendo...)

Na mochila leve água, boné, protetor solar, repelente, lanterna e um lanchinho. Pronto, este é o kit básico para se aventurar na observação de aves. Com o tempo você vai querer também fotografar e gravar os cantos, mas aí é outra história...

Os melhores lugares para observar aves são os parques e áreas verdes da cidade ou áreas perto de matas, que ainda conservam um pouco do ambiente natural das aves. Informe-se sobre estes lugares perto de sua casa, muitos já possuem atividades específicas para observadores nos fins de semana. Procure também os clubes de observação de aves de sua cidade, eles sempre têm programas especiais para os sócios.

Viajando para passarinhar...

Diversas operadoras de turismo já oferecem roteiros para observação de aves, é só dar uma olhada na Internet que você vai descobrir muitos lugares que já estão preparados para receber este público. No Brasil ainda são os estrangeiros que mais procuram por esta atividade, mas pouco a pouco os brasileiros também estão se dando conta das quase 1.800 espécies que vivem no país.


Foto: Daniel De Granville

E não é diferente para a região de Bonito, onde cada vez mais pessoas vêm procurando as aves da região. Alguns sítios turísticos já possuem um roteiro especializado para observação de aves, onde é possível ver mais de 50 a 80 espécies diferentes por dia, especialmente na primavera, quando as aves estão mais ativas. É neste período do ano que a maioria das espécies constrói seus ninhos e chocam os ovos, numa disputa por território e alimento. O resultado são duelos de cantos e danças em pleno vôo, para alegria dos observadores de aves.

CLIQUE AQUI e confira as aves que você poderá conhecer visitando a região de Bonito e Serra da Bodoquena! Esta lista apresenta as espécies que foram registradas nas áreas turísticas e que podem ser observadas durante os passeios.

Referências:

- Pivatto, M. A. C.; Manço, D. D. G.; Straube, F. C.; Urben-Filho, A. e Milano, M. (2006) Aves do Planalto da Bodoquena, Estado do Mato Grosso do Sul (Brasil). Atualidades Ornitológicas, nº 129. Disponível em http://www.ao.com.br/download/bodoquen.pdf.
- Sick, H. (1997) Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 862 p.
- Straube, F.C. e Urben-Filho, A. 2006. Avifauna do Corredor de Biodiversidade Miranda - Serra da Bodoquena: composição, biogeografia e conservação. Bonito, Fundação Neotrópica do Brasil. Relatório Final. 81 p.

COLUNISTA

Maria Antonietta

tietta@portalbonto.com.br

Maria Antonietta Castro Pivatto, Bióloga, especialista em ecologia e ecoturismo, mestre em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional. Bloga no Bonito BirdWatching: http://bonitobirdwatching.blogspot.com/

COMENTÁRIOS

Site desenvolvido por: