BONITO / MS

31º

21º

quinta, 25 de abril de 2019

quinta, 26 de agosto de 2010

Capítulo 2 - Os grandes aventureiros

Quando se fala em turismo de aventura hoje em dia, com a segurança de equipamentos de primeira linha, GPS, tecidos especiais, alimentos liofilizados, academias especializadas e os maravilhosos patrocinadores, fica difícil imaginar como os primeiros aventureiros se atreveram a sair de casa...

O que movia esses homens do passado era a grande necessidade que tinham de desvendar o desconhecido, chegar até onde nenhum outro homem havia chegado. Marco Pólo, Fernão de Magalhães, Cristóvão Colombo, são famosos pelos caminhos que abriram para um novo mundo. Mas o que dizer do primeiro homem a chegar ao Pólo Sul ou ao Pólo Norte, os primeiros escaladores do Everest, K9, Kilimanjaro, Aconcagua, etc? E o primeiro mergulhador a observar a vida dos corais marinhos?

A necessidade de ser o primeiro, e depois o mais rápido, direcionava aventuras como essa. A busca de novos conhecimentos motivou pessoas como Darwin, Barão de Langsdroff, e os irmãos Villas Boas a visitar lugares inusitados, enriquecendo-nos com novas informações e uma nova visão do mundo em que vivemos.

A cada nova expedição, essas pessoas iam descobrindo novos caminhos, inventando novos equipamentos, descobrindo novas técnicas. Atualmente existem pouquíssimos lugares que ainda não foram investigados pelo menos superficialmente, sendo difícil chegar a um lugar que não exista no mapa.

As facilidades que o mundo moderno trouxe à nossa vida eliminaram a necessidade de se buscar esses lugares. Porém o que vemos atualmente é o homem tentando cada vez mais superar seus limites, seja numa escalada, num mergulho em caverna ou simplesmente saltando de pára-quedas. O espírito aventureiro, o desejo de vencer barreiras nunca vão se extinguir, e dessa necessidade surgiram os esportes de aventura, normalmente associados ao ecoturismo.

Lojas com produtos especializados, agências, roteiros, revistas e programas de televisão atendem ao grande público consumidor dessa nova tendência mundial. Cada vez mais o turismo de aventura cresce e oferece novas opções para os mais radicais e os nem tanto.

Mas será que esporte de aventura e ecoturismo são a mesma coisa?

COLUNISTA

Maria Antonietta

tietta@portalbonto.com.br

Maria Antonietta Castro Pivatto, Bióloga, especialista em ecologia e ecoturismo, mestre em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional. Bloga no Bonito BirdWatching: http://bonitobirdwatching.blogspot.com/

COMENTÁRIOS

Site desenvolvido por: