BONITO / MS

31º

21º

quarta, 23 de outubro de 2019

sexta, 06 de setembro de 2019

Bonito se mobiliza para tirar tráfego pesado do Centro e dar segurança à população

O município encaminha a implantação de anel rodoviário, mas traçado próximo à área urbana gera dúvidas e apelos populares.

Bonito Notícias

As modificações seriam feitas para diminuir a movimentação de caminhões nas rodovias.(Foto: Divulgação)

 A implantação de um macro anel rodoviário em Bonito começa a sair do papel, embora o projeto ainda seja alvo de pressão da sociedade para que garanta a preservação do delicado ecossistema da região, ao mesmo tempo em que vai tirar o tráfego pesado de caminhões da área urbana e dar fim aos danos no asfalto de ruas e avenidas. O projeto já foi protocolado na Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul) pelo prefeito Odilson Soares, que também vê com bons olhos os estudos elaborados por setores da comunidade bonitense.

O estudo preliminar, apresentado pelo jornalista Bosco Martins, pelo consultor de Engenharia Adriano Kawata Barreto e pelo urbanista Jean Carlo Cardoso da Cruz, prevê uma rota alternativa a partir de vicinais e rotas boiadeiras, permitindo a interligação das rodovias MS-382 (de acesso à Gruta do Lago Azul e por onde passam anualmente 30 mil caminhões), MS-178 (acesso a Bodoquena, com tráfego de 28 mil caminhões/ano) e a MS-345 (acesso a Águas de Miranda e que, até 2021, vai viabilizar um trajeto pavimentado mais curto até Campo Grande).

“Trata-se de um projeto alinhado também à questão ambiental, já que essas estradas municipais e rotas boiadeiras já são conhecidas e interligam diferentes comunidades rurais. Com o devido tratamento, permitirão a retirada dos caminhões de dentro de Bonito sem que isso agrida o nosso riquíssimo meio ambiente”, defendeu Bosco.

Uma primeira etapa do projeto, em extensão de 11 quilômetros, encontra-se em fase de aprovação, partindo da MS-345 a partir da “Estrada do Queijinho”, usada por produtores de leite, passando por trás do aterro sanitário e chegando à região do Clube do Laço, próximo à futura sede do Corpo de Bombeiros, na saída para Jardim.

O traçado planejado pelo trio ainda inclui 13 quilômetros de traçados, da MS-345 a MS-178, em um trecho de 8 quilômetros que dependeria de uma travessia sobre um pequeno córrego, e outros 5 quilômetros de rotas de servidão chegando à MS-382, “fechando” o tráfego pelo norte de Bonito.

“Consideramos esse projeto interessante para o município, já que ele representa um desvio de 20 quilômetros do tráfego pesado de nossa área urbana e cria, ainda, a possibilidade de interligação com a MS-345, que será asfaltada. Queremos acompanhar esses debates e, se for comprovada sua viabilidade, vamos trabalhar por sua implantação”, declarou o prefeito, que já esteve com o vice-governador e secretário de Estado de Infraestrutura, Murilo Zauith, para discutir o anel viário de Bonito.

O projeto em andamento, porém, envolve um traçado mais próximo da área urbana: a partir da rotatória da MS-382, na região do Posto Tatinha 3, usariam as vicinais ladeando a cidade pelos bairros Vila Donária, Jardim Cohab, Vila América e Tarumã, até chegar à MS-178. Este trecho gera controvérsia porque ladearia a área urbana da cidade, “e em pouco tempo poderemos voltar a ter o mesmo problema”, pontuou Bosco.

A sociedade bonitense vem se mobilizando para, por meio de pressão popular, solicitar revisões nos projetos a fim de permitir mudanças no traçado apresentado, levando a discussão ao Conselho Municipal de Turismo. O argumento é que o serviço defendido pela prefeitura até aqui, envolve, basicamente, a reconformação, cascalhamento e patrolamento das vias, que são exatamente as mesmas ações que seriam realizadas no outro projeto em avaliação.

Obras garantidas

O debate para revisão do projeto vai ao encontro de compromissos já assumidos pelo vice-governador Murilo Zauith, bem como com obras já anunciadas pelo governador Reinaldo Azambuja.

Entre elas, estão a pavimentação da Rodovia do Turismo, a retomada da pavimentação da rodovia de acesso à Gruta do Lago Azul, a drenagem da rua Voluntários da Pátria (na Vila América), a construção da ponte do Bajuca e a correção do pavimento na rodovia que liga a Guia Lopes e Jardim.

“O vice-governador também antecipou a retomada das obras de pavimentação na MS-345, entre Bonito e Águas de Miranda, paralisada desde 2017 e que já foi alvo de anúncio por vários ex-governadores. A rodovia liga a região a Aquidauana e Anastácio e a Campo Grande, encurtando distâncias. A previsão é de que o empreendimento será retomado e terminado até 2021”, explicou Bosco.

COMENTÁRIOS

Site desenvolvido por: