BONITO / MS

31�

21�

terça, 30 de novembro de 2021

quinta, 26 de agosto de 2010

Lagoa Misteriosa

Lagoa Misteriosa/Jardim & Lago Azul/Bonito – MS
... e tem muito mais

Comenta-se muito sobre a  impressionante transparência e da maravilhosa cor das águas da região da Serra da Bodoquena/MS, exclamando-se: “águas de coloração azulada (turqueza: fotos 01 e 02-Lagoa Misteriosa e fotos 03 e 04 - Gruta do Lago Azul), de magnífica transparência e alta visibilidade” Como pode?


Fotos: lagoa misteriosa www.bonitoweb.com.br


Fotos: gruta do lago azul www.ecoviagem.com.br

É possível, ao mesmo tempo ser transparente, apresentar cor e ainda  ter  alta visibilidade? A primeira vista, seria contraditório, não seria?

Na verdade, a COR é a impressão produzida pela luz refletida ou retornada pelos corpos ou anteparos, no órgão da visão humana, e que depende, primordialmente, do comprimento de onda das radiações incidentes; - contrapõe-se ao branco, que é a síntese das radiações, e ao preto, que é a ausência de cor.  Em sistemas aquáticos naturais é resultante principalmente da reflexão e dispersão da luz nas partículas em suspensão ou mesmo fixas, ou dos processos de decomposição presentes, (ácidos húmicos, p.ex.); além da possível presença de colóides, de minerais e em especial de certos íons metálicos (p. ex.: Fe, Mn), de macrófitas, de substâncias liberadas pelo plâncton, etc. Essas explicações definem o se chama de COR APARENTE

# A cor aparente é causada por partículas maiores que 1,2mm, em suspensão ou fixas. A cor verdadeira é causada por partículas de substâncias dissolvidas e colóides, em geral com  diâmetro menor que 1,2mm. 

A TRANSPARÊNCIA indica a capacidade MAIOR OU MENOR que tem a água de permitir a passagem dos raios luminosos. Quanto maior  a  transparência da água, maior é a visibilidade, porém a capacidade de penetração da luz diminui à medida que aumenta a profundidade, pela dispersão da energia luminosa.

Lembramos que a TURBIDEZ de uma água é dada pela quantidade ou concentração de partículas sólidas, semi fluído orgânicas e inorgânicas, quando em suspensão, com diâmetro maior que 1,2mm, (0,0012mm) que provocam difusão ou absorção da luz (dispersão dos raios luminosos), devido à presença de sólidos em suspensão. Mostra o grau de atenuação de intensidade que um feixe de luz sofre ao atravessá-la, e esta redução se dá por absorção e espalhamento, uma vez que as partículas que provocam turbidez nas águas são maiores que o comprimento de onda da luz branca. Quanto maior a turbidez, menor  a  transparência da água. A turbidez pode ocasionar uma cor aparente  na água quando as partículas dispersas na massa líquida contenham pigmentos próprios ou partículas orgânicas ou não que tenham a capacidade de  absorver ou refletir  seletivamente a luz.

Já a VISIBILIDADE é a qualidade que na água, (p.ex), se apresenta, em poder-se distinguir objetos.

# A cor, a transparência, a turbidez, a visibilidade, a salinidade ou condutividade, assim como a temperatura, são as variáveis físicas da água; - já  o  pH, alcalinidade, dureza, substâncias ou compostos,  representam as variáveis químicas.

Em regiões, (p. ex., da Serra da Bodoquena/,MS), cujas águas recebam contribuições do tipo calcítico-dolomítico, no percurso, transito ou mesmo em contenção mais externa ou subterrânea, essas variáveis físicas e químicas devem ser consideradas, visto perceber-se claramente marcantes diferenciações comportamentais nos processos biogeoquímicos quando comparados com as de água doce.

Determinações quanto as variáveis salinidade ou condutividade, série de nitrogênio, série de alcalinidade e de dureza das mesmas deverão ser incluídas em estudos relativos à sua caracterização. Aponta-se que tais águas não devem ser incluídas como “água não doce”, mesmo possuindo níveis baixos de salinidade, e até não detectáveis por refratômetros manuais ou aparelhos que medem a salinidade. Devem ser classificadas como "águas oligohalinas", quando possuírem níveis de salinidade entre 0,5 e 0,6 ppt ou S‰". Teoricamente, considera-se “água salobra” a que possui entre 0,5 e 30 S‰. Já a “água salgada” apresenta valores maiores.

Tais águas apresentam dureza e alcalinidade mais elevada, além de conseqüentemente serem mais tamponadas, ou seja, com maior resistência às variações de pH, quando comparadas com a “água doce”, estas com baixíssima salinidade". Além disso são águas continentais, que ao contrario das águas salobras e salgadas, podem ser limitadas ao Ca+ e Mg2+.  e.t.: águas salobras são típicas dos estuários e resultantes da mistura da água do rio com a água do mar, mas também pode se encontrar água salobra de origem fóssil, em certos aqüíferos associados a rochas salinas. #

COLUNISTA

Helcias de Pádua

helcias@portalbonito.com.br

Professor Helcias Bernardo de Pádua, Biólogo-C.F.Bio 00683-01/D; Conferencista em "Qualidade das águas"; Especialista em Biotecnologia-C.R.Bio 01; Analista Clínico - Hosp.Clínicas SP; Professor de Biologia e Ciências-L-94.718-DR 5 - MEC, desde 1975; Consultor, professor e colunista; Memorista-AGMIB/Assoc. Grupo de Mem. do Itaim Bibi/SP; Graduando em Jornalismo/FaPCom

COMENTÁRIOS

Site desenvolvido por: